Como é feito o tratamento de efluentes industriais?

Como é feito o tratamento de efluentes industriais?

Anualmente, a indústria brasileira produz 33 milhões de toneladas de resíduos, mas apenas 25% são passadas por tratamento adequadamente.

A informação é de uma pesquisa encomendada pela Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos Efluentes (Abetre) e mostra uma realidade urgente: a importância da responsabilidade socioambiental.

Não é à toa que, em um cenário desses,as chances de contaminação do meio ambiente e das pessoas que moram perto dessas indústrias aumenta muito.

Para resolver o problema, soluções como a chamada Estação de tratamento de efluentes industriais são muito importantes. Mas o que de fato acontece em uma estação como essa?

Como as indústrias podem tratar os líquidos e gases que são eliminados pelo processo industrial de forma eficiente? Como funciona esse processo na prática?

Se você também tem essas dúvidas e deseja melhorar os processos da sua indústria ou do sistema da estação de tratamento de esgoto esse artigo pode te ajudar!

O que são efluentes e como tratá-los?

Os efluentes são resíduos (gases ou líquidos) originados em indústrias, esgotos e redes pluviais, que nem sempre são descartados da forma correta.

Em contato com a natureza, esse lixo industrial é capaz de contaminar o solo, a água, além de causar doenças que prejudicam a saúde humana.

Por esse motivo, o tratamento dos residuos industriais é essencial não só para cumprir  a legislação do país, como   a Lei Nº 12305/2010 instituída pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, como também para evitar problemas ambientais e sociais.

Na prática, a lei prevê uma série de obrigações das indústrias para fazer a destinação correta desses resíduos e das opções é uso de equipamentos para tratar os efluentes. 

A Estação de tratamento de efluentes industriais é uma dessas soluções. Na prática, uma  estação funciona com uma série de estratégias para garantir que a água que não evapora seja tratada ou reutilizada nos processos industriais.

Existem vários tipos de estação e as estratégias são definidas de acordo com o efluente que precisa ser tratado.

Contudo, independente do tipo de estação ou indústria, esse processo engloba várias etapas do tratamento. Para exemplificar melhor, confira os principais passos no tratamento desses residuos industriais.

1. Pré tratamento

Antes mesmo da primeira etapa do processo, os efluentes passam por dois processos: a desarenação e o gradeamento.

Na prática, essas duas técnicas possuem uma finalidade: remover os sólidos, separando materiais e desinfectando os resíduos contaminados com substâncias tóxicas.

Por isso, contar com a ajuda de Empresas de Tratamento de Efluentes é uma boa opção para melhores resultados.

O gradeamento é feito com grades de metal, que funcionam como uma espécie de barreira (que pode ser menor ou maior) para retirar os sólidos maiores. Já na desarenação, substâncias como areia são removidas das tubulações. 

Em resumo, o processo ocorre da seguinte forma:

  •  Peneiramento do material;
  •  Separação de óleos, gorduras e areias;
  •  Filtragem dos efluentes;
  •  Remoção dos sólidos com grades ou telas;

2. Primeira etapa

Depois da separação dos sólidos, a segunda fase do tratamento de efluentes consiste em processos físicos ou químicos.

Na prática, essas técnicas servem para remover os poluentes que ainda ficam nas substâncias, a partir de processos de desinfecção da água e neutralização de Ph.

3. Segunda etapa 

Nessa fase, todos os efluentes são tratados de forma biológica.

O processo consiste duas fases: anaeróbia e aeróbia.Na primeira, os resíduos de esgoto são levados para um tanque e decompostos por bactérias anaeróbias (que vivem do oxigênio). Já na segunda, os micro-organismos destroem as substâncias tóxicas, no meio do lodo.

Nesse momento, essas bactérias se alimentam da matéria e a transformam em gás carbônico e água. e a eficácia no tratamento dos resíduos pode chegar até 95%, dependendo da Estação de tratamento de efluentes industriais.

4. Fase do lodo

Quando tratado adequadamente, os efluentes se transformam em lodo e biogás. Na prática, o lodo tem origem na remoção da matéria orgânica durante o processo das fases anteriores.

Em seguida, esse material pode passar por desidratação e descartado em aterros sanitários, incineradores ou também pode ser usado como adubo.

Outras formas de tratamento

No caso específico do tratamento de efluentes que vão para o esgoto, um equipamento muito utilizado é a Ete compactaEssa solução é interessante não só para indústrias como para shoppings centers e universidades, por exemplo.

Na prática, a estação funciona de maneira automática e os efluentes passam pelo mesmo processo da estação de tratamento para as indústrias. A grande diferença dessa estação é que ela é compacta e conta com uma manutenção e instalação mais simples.

Por fim, a fossa ecologica é um produto com 3 caixas d’água que separam resíduos animais e vegetais para fazer o tratamento adequado.

Na prática, esse material é construído com tijolos e argamassa que ajudam a compor um sistema biodigestor para transformar a matéria orgânica.

Além da eco fossa contribuir para o tratamento do lixo orgânico (não poluindo rios e lagos), essa opção também ajuda a melhorar o trabalho da estação de tratamento de esgoto – que pode inclusive ser reaproveitado.

O tratamento do esgoto e dos efluentes a partir desse recurso é muito eficaz, pois o sistema sustentável não polui os lençóis freáticos.

Outra vantagem  desse tipo de fossa  é que ela pode ser instalada em todos os tipos de terreno – a céu aberto ou debaixo da terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *