Tratamento adequado de resíduos industriais diminui poluição

Tratamento adequado de resíduos industriais diminui poluição

O planeta passa por grandes transformações, conforme o avanço tecnológico e o desenvolvimento da humanidade, com pontos positivos e negativos no seu tratamento.

A invasão de equipamentos eletrônicos se tornou um grande problema para a sociedade, a partir do momento em que os consumidores passaram a descartar seus aparelhos em latas de lixo comuns, sem o devido resguardo ou reverência à natureza.

A revolução industrial, até os anos de 1980, também foi um grande ator no cenário de desenvolvimento, provocando poluição do ar, da terra, dos rios, lagos e mares.

Em terras nacionais, a implementação de leis ambientais passaram a cobrar das indústrias e fabricantes uma solução integrada, em conjunto com a sociedade civil, para diminuir a agressão ao meio ambiente.

Equipe profissional desenvolve projetos pontuais

As corporações passaram a tratar a natureza por um outro aspecto, percebendo que o meio ambiente é a maior fonte de matéria-prima, para a maioria dos produtos oferecidos aos mercado consumidor.

Desta forma, passaram a contratar uma assessoria ambiental para desenvolver projetos que estejam de acordo com as normas e leis ambientais, colocando em prática ações de menor impacto sobre a fauna e a flora.

A configuração de fábricas e indústrias tiveram que passar por adaptações, analisando as consequências biológicas e os impactos no meio ambiente, conforme o avanço e desenvolvimento das empresas.

Planos de ação passaram a ser adequados, para que certificados e licenças ambientais sejam emitidos por agentes fiscalizados ligados ao poder público e à sociedade civil.

Dentre os muitos projetos aplicados em diversas indústrias, o tratamento de efluentes industriais foi implementado com sucesso em muitas plantas fabris.

O trabalho de aplicação de filtros em fontes estacionárias, como incineradores e chaminés, passou a ser obrigatório, para diminuir a emissão de gases poluentes diretamente no ar.

Os critérios adotados passaram a fazer parte de uma coleta de dados criteriosa, monitorando a toxicidade do ar emitido, evitando prejuízos de caráter prejudicial à saúde da população e do meio ambiente.

Cuidados na indústria do século XXI

O tratamento de efluente industrial já faz parte de qualquer projeto empresarial, a partir de análises de toda a cadeia produtiva, assim como dos efluentes gerados durante os procedimentos industriais.

Para se adequar às leis ambientais, métodos são aplicados em todo o processo de industrialização, como:

  • Descarte, reaproveitamento e reciclagem de maneira apropriada;
  • Impedimento de desperdícios;
  • Redução de impacto ambiental;
  • Otimização e aproveitamento de toda matéria-prima.

Desta forma, as despesas passaram a ser reduzidas, melhorando a exploração dos resíduos ao máximo, além de estar em conformidade com as leis ambientais, reduzindo problemas com a fiscalização e negativação de multas.

O tratamento de águas industriais também proporcionou novos cenários dentro das fábricas e indústrias. Para o resfriamento de máquinas e equipamentos, a água de reúso passou a ser utilizada.

Da mesma forma, a limpeza de pátios, estacionamentos e veículos também se aproveitaram das águas tratadas em estações instaladas dentro das fábricas e indústrias.

Sustentabilidade também é pauta doméstica

Casos muito raros nos dias atuais, a maioria das casas possuem algum tipo de aparelho doméstico que utiliza a eletricidade como fonte de energia.

Televisores, aparelhos de som, fogões elétricos, geladeiras, microondas, aparelhos de celular, computadores, impressoras, tablets, relógios digitais.

Tudo isso é considerado equipamento eletrônico e, quando não tem mais uso é preciso fazer o descarte de lixo eletrônico de maneira correta.

Muitas empresas de reciclagem já utilizam a tecnologia a favor da natureza, dando o tratamento adequado a esses produtos, que contam com muitas peças que podem ser recuperadas e reutilizadas na indústria de transformação, aquecendo a economia verde, como é tratada as empresas que trabalham em prol do meio ambiente.

A Lei 12.305/2010 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que trata sobre a responsabilidade de fabricante quanto à coleta de aparelhos, diminuindo a dispensa de elementos poluentes em aterros sanitários, e aumentando o trabalho de reciclagem.

Inclusive com a aplicação de logística reversa em resíduos relacionados a pilhas, baterias, pneus, lâmpadas, entre outros produtos utilizados no dia a dia da sociedade.

O poder público passou a se responsabilizar pela coleta de lixo eletronico e outros resíduos sólidos, para que o despejo seja feito de forma correta, com o tratamento adequado.

A separação fica por conta dos moradores, que devem separar da seguinte forma:

  • Vidros;
  • Papel;
  • Metais;
  • Plástico;
  • Lixo eletrônico;
  • Produtos inservíveis;

A participação da sociedade é muito importante na diminuição da poluição do planeta, assim como as empresas e fabricantes.

A responsabilidade de separar componentes e garantir a destinação adequada, com a ajuda de centros recicladores, para a utilização em novos produtos, ajuda no combate e extinção de lixões e na diminuição de aterros sanitários, que acabam influenciando nas características do solo e afetando lençóis freáticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *