Reaproveitamento de resíduos sólidos transforma meio ambiente

Reaproveitamento de resíduos sólidos transforma meio ambiente

A sociedade, de uma forma geral, depende dos recursos da natureza para sobreviver. Muitos deles são utilizados no dia a dia sem que as pessoas percebam a sua importância, como a água encanada e a energia elétrica que chega nas casas, comércios e indústrias por meio de hidrelétricas e redes de distribuição.

Dessa forma, é responsabilidade de todos cuidar para que a natureza seja preservada da maneira correta, com as possibilidades de cada setor.

Isso significa que a sociedade civil pode fazer a parte dela pensando no consumo consciente e os comerciantes podem vender produtos com embalagem reciclável.

O setor industrial envolve diversos pontos que se referem ao meio ambiente, tanto da parte de uso de recursos naturais quanto da poluição do ar, do solo, dos rios e dos mares.

Por isso, esse assunto é tratado de forma coletiva, com vários estudiosos, pesquisadores e organizações não governamentais que representam a sociedade.

A produção rural é parte interessada ainda mais, pois os bens de consumo do agronegócio englobam a criação de animais para abate e a plantação e colheita de frutas, legumes e verduras.

Separação de resíduos sólidos ajuda muito

Os pequenos passos podem levar a grandes distâncias, mesmo que seja de maneira metafórica. Dessa maneira, as pessoas podem fazer parte de uma cadeia produtiva em que os beneficiados são o meio ambiente e a própria sociedade.

Os programas de coleta seletiva disponibilizados pelo poder público conta com cidadãos conscientes da importância em separar lixos inservíveis, como fraldas e papel higiênico, por exemplo, dos materiais que podem ser reciclados, entre eles:

  • Papel e papelão;
  • Metais como aço e alumínio;
  • Vidro e lâmpada;
  • Sacolas plásticas.

Para os moradores de uma cidade, esse ato pode significar muita coisa em um escopo mais abrangente. As toneladas de resíduos sólidos que antes eram destinados a lixões sem cuidado provocaram muitos estragos no solo e nos lençóis freáticos.

Com o desenvolvimento da legislação ambiental e a conscientização da população por meio da educação, as gerações recentes perceberam que é possível chegar a um novo patamar na questão do tratamento do que antes era considerado lixo e podia ser descartado de forma natural.

A formalização de contrato com uma empresa de reciclagem de papel, vidro, plástico, entre outros materiais que são aproveitados de forma inteligente, é uma responsabilidade do poder público. A população cabe separar o que pode do que não pode ser reciclado.

Produtos voltam ao mercado consumidor

As possibilidades de transformação de um papel em cadernos, folhas de sulfite reciclado, agendas e até mesmo livros são ínfimas, perto da tecnologia disponível nas empresas que trabalham nesse setor.

Lojas especializadas oferecem desde blocos de notas de papel até lixeira ecológica de madeira plástica que pode ser instalada nas áreas residenciais, pois são resistentes e práticas.

Essas possibilidades podem ser empregadas no acabamento de um imóvel, como também estar presente dentro dos escritórios de trabalho das pessoas.

Vale lembrar que a construção civil também é grande responsável por muitos resíduos sólidos que podem se transformar em materiais reciclaveis, como a madeira, o concreto armado e o restante de ferro utilizado na formação de vigas e colunas.

A madeira volta em forma de placas compensadas, o concreto é transformado em blocos para calçamento e o metal pode voltar para o setor metalúrgico.

Produção rural também tem responsabilidades

O campo rural é responsável pela produção do alimento que chega ao prato da população. A decoração ambiente também depende dos criadores de plantas e flores ornamentais. Tudo está envolvido em um grande ciclo de oferta e procura.

Dessa forma, é comum encontrar produtores que utilizam fertilizante foliar para flores como forma de manter a saúde das plantas, para que cheguem às floriculturas e, por conseguinte, às mãos dos consumidores, de maneira apropriada.

Para as residências que contam com um espaço para a criação de uma hora, as empresas desenvolveram um produto que não demanda conhecimento técnico avançado em plantação rural.

Trata-se de um produto denominado papel semente ecológico, que conta em sua estrutura com sementes que podem ser de diferentes exemplares da flora, como verduras e ervas. É uma forma prática de preservar a natureza, mesmo que de maneira doméstica.

Seja na indústria ou na sociedade civil, nos comércios ou na área rural, a proteção à natureza faz parte da realidade de cada pessoa.

O consumo de produtos orgânicos e a separação de resíduos sólidos recicláveis pode ser feita dentro de casa, por uma família, no seu dia a dia.

Da mesma forma as empresas e corporações, com a produção de bens de consumo em massa, devem implementar planos de ação para melhor aproveitamento dos recursos naturais e em filtros e estações de tratamento de água em suas instalações fabris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *