Meio ambiente: cuidados que as empresas devem ter

Meio ambiente: cuidados que as empresas devem ter

Qualquer empresa, principalmente a indústria, precisa adotar medidas de segurança ambiental. Essas medidas representam um cuidado com os recursos e ambiente por parte da empresa, que deve se atentar a preservação do meio ambiente.

Além disso, todo o impacto negativo que essa empresa causar, ou puder causar, deve adotar medidas para recuperação ou minimização dos danos que, quando não feitas adequadamente, pode acarretar multas e sanções.

Por isso, a empresa precisa estar atenta às regras estabelecidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente ( CONAMA), com o objetivo de fazer sua parte dentro da sociedade.

Uma das medidas envolve o diagnostico socioambiental, visando detalhar aspectos referentes ao local, fauna, flora e até mesmo os impactos socioeconômicos.

Se você tem curiosidade para descobrir mais detalhes sobre essa temática, prossiga na leitura do artigo.

Como ocorre o diagnóstico ambiental?

O diagnóstico ambiental é um processo que visa a qualidade do meio ambiente por meio de um estudo.

Esse estudo tem como objetivo verificar quais os impactos que podem ocorrer na parte biológica, física e, até mesmo, socioeconômica.

Por meio físico, o Conselho Nacional do Meio Ambiente ( CONAMA), entende a água, o ar, clima, solo, regime hidrológico, correntes marinhas e atmosféricas.

No caso do meio biológico, entende-se a fauna e flora, principalmente no que se refere às espécies que estão ameaçadas de extinção e as áreas de preservação ambiental.

Já a parte socioeconômica é vista como a ocupação de determinado espaço do solo, como a água será utilizada, além de situações arqueológicas e de dependência dos recursos naturais.

No diagnóstico ambiental simplificado existem também investigações químicas e de toda a parte hidrológica do local.

Durante a análise podem ser estabelecidos e averiguados os procedimentos de remediação, além de apontar algumas alternativas para melhora do meio ambiente e sua recuperação ambiental.

Mais ainda, é possível verificar qual é a estimativa de custo no local por meio dessa análise.

Esse tipo de abordagem visa também solucionar problemas para a empresa, seja ela uma indústria ou para pessoas que estão construindo.

A ideia é avaliar os riscos ambientais que aquela indústria ou construção pode causar no meio ambiente e traçar ideias para mitigar ou evitar que esses danos ambientais e financeiros ocorram.

Ou seja, esse é um procedimento que deve ser adotado pelas empresas, principalmente as indústrias porque o impacto ambiental precisa ser medido. Além disso, existem normas técnicas de segurança ambiental que devem ser seguidas e que falaremos adiante.

Coleta de resíduos

Uma das estratégias de preservação ambiental obrigatória para empresas é ter um plano de gerenciamento ambiental, com foco nos resíduos sólidos e dejetos.

Isso é importante para evitar a poluição e a contaminação ambiental. Essa estratégia consiste em diversas medidas, destacando-se a coleta de resíduos perigosos.

A indústria, de modo geral, acaba produzindo materiais e resíduos que acabam sendo contaminantes.

Esses resíduos perigosos são considerados como tóxicos, podem ser radioativos, afetando tanto a saúde humana quanto o meio ambiente.

Esse tipo de coleta precisa ser muito eficiente e segura, desde o seu processo de extração, realocação nos materiais de contenção e ainda um transporte que ofereça segurança em todo o seu percurso.

Em alguns casos, a Polícia Rodoviária deve ser informada para que a pista fique fechada e seja exclusiva para o caminhão de transporte. Todo esse procedimento é bastante delicado e precisa seguir normas técnicas de segurança para preservar a integridade de todos.

Além de coletar os resíduos considerados perigosos, a empresa também pode realizar a coleta de residuos não perigosos. Essa coleta consiste nos resíduos sólidos como plástico, vidro e até mesmo o papel e resíduos orgânicos, que deverão ser encaminhados para o descarte mais adequado.

As vantagens desse processo são:

  • Evita a contaminação do ambiente;
  • Preserva a integridade da população;
  • Possibilidade de reaproveitamento de determinados materiais;
  • Descarte mais adequado dos resíduos.

Entenda como é feito o tratamento de chorume

O chorume é um material mal cheiroso, que é originado a partir de processos que são biológicos, químicos e físicos.

Ele ocorre por conta dos resíduos orgânicos se decomporem. Esse líquido pode causar diversos efeitos negativos ao meio ambiente e, por isso, existe o sistema de tratamento de chorume.

Isso é necessário porque esse liquido tem dificuldade para se degradar, possuindo alto risco de contaminação ambiental.

Esse sistema vai lidar com a matéria orgânica, mas também com materiais tóxicos, como cobre e chumbo.

Em contato com a natureza, os danos podem ser irreversíveis. Por isso, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) regulamenta regras de como o chorume pode ser tratado, para que ele não contamine o meio ambiente.

O tratamento do chorume é biológico e apresenta muita eficiência, por ter microrganismos considerados aeróbicos, que ajudam na decomposição de composto orgânico.

Após o tratamento, esse material pode servir como adubo para agricultura.

Dentre os procedimentos que podem ser realizados nesse sistema vale destacar:

  • Retenção de sólidos;
  • Filtragem e decomposição;
  • Decantação e suspensão;
  • Separação de flocos.

Na prática, o chorume deve passar por grades que irão reter os resíduos sólidos que podem estar no material. Após isso, ele é direcionado para uma caixa de areia.

Nela, corre a filtragem do material e a decomposição biológica por dias. Finalizada a decomposição, o material deve passar por processos de decantação e suspensão em que ocorrerá a separação dos flocos e remoção dos sólidos.

Após os procedimentos de limpeza, esse material poderá ser levado para natureza para ser descartado adequadamente e sem agredi-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *