Educação ambiental e cidadania: qual a relação?

Educação ambiental e cidadania: qual a relação?

A educação ambiental e cidadania são assuntos que vem sendo amplamente discutidos, de forma que muito se fala a respeito da relação entre ambos.

No entanto, tamanha fama ainda não é suficiente para que os principais conceitos e práticas sobre a preservação do meio ambiente sejam levados em consideração e aplicados no dia a dia.

Por isso, no material de hoje, explicaremos de forma bastante completa sobre a educação ambiental, vendo de que forma essa pode nos auxiliar a construir cidadãos ainda mais conscientes.

Dito isso, para saber mais sobre o assunto, não deixe de conferir todo este conteúdo até o fim!

O que é a educação ambiental?

A geração dos séculos XX e XXI já está bastante acostumada a falar sobre o meio ambiente, já que esse é um assunto comum nas escolas.

No entanto, ainda são poucos os que compreendem que educação ambiental não se resume apenas a entender que não se deve desmatar as florestas e poluir os rios, já que esta vai muito além disso.

Para falar a verdade, a educação ambiental consiste em um modelo de aprendizado que tem como foco a compreensão de que cada cidadão tem plena responsabilidade com os danos que causa ao meio ambiente.

Este tipo de abordagem nem sempre fez parte da educação básica, já que faz pouco tempo desde que o homem passou a colher os frutos de suas ações contra a natureza.

Desde que prejuízos graves foram observados, como a ocorrência de desastres naturais, ou ausência de água potável e até mesmo extinção de muitas espécies, os governantes passaram a compreender a relevância de falar sobre o tema.

Diferentemente do que muitos acreditam, a educação ambiental não deve ser apenas direcionada aos pequenos, já que os adultos e idosos também têm capacidade de contribuir com a causa.

Qual a relação com a prática de cidadania?

No tópico anterior, foi possível entendermos de forma breve sobre o significado e propósito da educação ambiental.

Mas, ainda assim, faltou mencionar um assunto bastante relevante, que é a relação existente entre a educação ambiental e a cidadania.

Quando falamos em preservação de meio ambiente, muitas pessoas logo pensam em árvores, rios e animais, algo relativamente distante do ambiente urbano.

Com isso, naturalmente, muitos indivíduos passam a pensar que não tem participação na melhora dos quadros de destruição.

No entanto, existe algo muito importante que deve ser discutido, que é a cidadania. Esta consiste em comportamentos que visam o bem estar de toda uma sociedade.

Todos nós devemos agir como bons cidadãos, auxiliando no que for possível para a melhora e evolução da sociedade humana.

Mas, de que forma é possível aplicar a cidadania, se não existe qualquer consciência a respeito da preservação da natureza?

O meio ambiente é um elemento básico para toda a vida do planeta Terra, de forma que os seres humanos possuem grande responsabilidade com sua preservação e reparação dos danos causados.

Com isso, podemos compreender que a educação ambiental é um conteúdo básico para a construção de uma boa mente cidadã!

Como fazer a inclusão da educação ambiental?

De nada adianta saber sobre a importância da educação ambiental, se não nos esforçamos para tornar esse conhecimento prático e popular.

Para isso, é fundamental que seja realizada a inclusão da educação ambiental, mesmo que isso se dê por meio de um curso online.

No entanto, existe um ponto nessa história que merece grande atenção, que é justamente as diferenças de compreensão e abordagem para cada faixa etária.

Por isso, nos tópicos a seguir, mostraremos de que forma deve ser feita a inclusão da educação ambiental em cada uma das principais faixas etárias.

Lembre-se de que em todos os casos é possível, bastando saber usar as técnicas certas e contar com uma boa dose de paciência!

1. Educação ambiental para crianças e jovens 

A abordagem da educação ambiental para crianças e jovens é a mais comum, de forma que este é um conteúdo básico nas escolas.

Mas, da mesma forma, é muito importante que esse assunto seja reforçado e passe a fazer parte da rotina para a construção de uma mente cidadã.

Quanto mais jovem é a pessoa, mais simples se torna a passagem dos conteúdos relacionados ao meio ambiente, já que essa ainda está em processo de amadurecimento.

Por isso, conteúdos mais leves e divertidos podem se mostrar bastante eficientes, o que inclui animações, atividades e até mesmo rodas de conversa.

Já para os jovens, a abordagem pode seguir a mesma linha, mas sem que seja usada uma linguagem infantil e demasiadamente simples.

Nessa faixa etária, é interessante investir em projetos, nos quais os jovens possam participar e apresentar suas ideias e compreensões sobre o tema.

2. Educação ambiental para adultos

Quando falamos em educação ambiental para adultos, muitas pessoas já ficam preocupadas.

Isso se deve ao fato dos adultos serem menos propensos a mudarem de ideia, já que seu processo de amadurecimento já está bastante evoluído.

No entanto, existem alguns meios de passar os conteúdos, e aos poucos fazer com que os adultos percebam sua responsabilidade com a educação ambiental.

O mercado de trabalho tem uma importante interferência nessa questão, especialmente quando exige dos candidatos o aprendizado e respeito com o meio ambiente.

Palestras, cursos online, reuniões e até mesmo simples debates podem ser ótimas maneiras de conseguir incluir a educação ambiental na vida adulta.

3. Educação ambiental para idosos 

Por fim, não poderíamos deixar de falar sobre a educação ambiental para idosos, já que estes também podem contribuir.

Uma das maiores dificuldades nessa faixa etária se dá pelo fato de muitos idosos não conhecerem amplamente sobre o assunto, já que na infância este tema não era tão comum.

Mas, ainda assim, é possível criar consciência ambiental nessa faixa etária, nem que seja por meio da colaboração e convivência com os mais jovens.

Muitos idosos acabam aprendendo por meio de seus netos, sendo que esta relação deve ser incentivada, já que ambos podem aprender muito.

Além disso, reuniões e celebrações próprias para a terceira idade também podem ser interessantes para o aprendizado.

Sendo assim, seja qual for o método escolhido, comece a colocá-lo em prática o quanto antes, pois assim o planeta terá maiores chances de preservação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *