Dúvidas comuns sobre tratamentos e licenças

Dúvidas comuns sobre tratamentos e licenças

A preocupação com o meio ambiente é obrigatória e confere uma série de benefícios para as empresas, as pessoas e, claro, para o nosso planeta. Por isso, é necessário se atentar às normas existentes atualmente nesse segmento e cuidar para que elas possam ser cumpridas com eficiência e agilidade.

No artigo que você confere a seguir, fique por dentro de alguns procedimentos importantes nesse aspecto e saiba mais sobre as licenças ambientais para diferentes tipos de serviços e operações.

Tratamento de efluentes

Tratar a água que é despejada todos os dias em diversos tipos de locais por fábricas e indústrias que fazem parte dos mais variados segmentos é uma necessidade primordial para evitar que ecossistemas e biomas sejam comprometidos.

Por isso, o tratamento da agua deve ser feito de forma especializada, atenta e conforme todas as exigências voltadas para o controle dos resíduos e efluentes que podem afetar a saúde de vegetações, animais e populações ao redor.

No geral, esse procedimento é feito em um local específico por meio de intervenções químicas, físicas ou mesmo biológicas que são capazes de remover com eficiência as partículas contaminantes presentes no material dispensado.

Esse local, também conhecido como Estação de tratamento de efluentes (ou por sua abreviatura, ETE), é onde as legislações ambientais vigentes são colocadas em prática para a geração de potencial de reuso e a garantia da qualidade do efluente final.

A diferença entre os processos de tratamento se dão por conta da natureza dos materiais, de forma que os tratamentos químicos são destinados para substâncias que, na reação com produtos químicos, são eficientemente purificadas.

Já os procedimentos biológicos podem ser exemplificados pela remoção de sólidos diversos por meio do uso de interações biológicas, como sugere o próprio nome.

O tratamento físico, por fim, é aquele em que há retirada de substâncias e sólidos de forma física, ou seja, sem o uso de produtos para isso.

A atenuação da empresa, o impacto ao ambiente e o descumprimento das normas vigentes com relação aos processos sustentáveis e de preservação podem acarretar em graves consequências, de modo que as estações de tratamento devem trabalhar continuamente para garantir resultados seguros e confiáveis.

Para isso, é preciso aliar trabalho de qualidade com os Equipamentos para tratamento de efluentes mais indicados em cada tipo de situação.

Um dos itens mais empregados nesse contexto é o flotador, que, por meio de um processo de ar dissolvido, atende a diferentes demandas de separação de sólidos, seja com relação a efluentes industriais ou domésticos.

Existem diversos exemplos que são voltados para a obtenção de mais precisão e qualidade no tratamento, de modo que podemos destacar as seguintes vantagens:

  • Rendimento;
  • Baixo consumo de eletricidade;
  • Regulagem de pH;
  • Baixo custo de investimento.

Isso sem falar que os flotadores não exigem a utilização de tanques de pressão ou mesmo de compressores de ar para apresentarem o seu funcionamento eficaz.

Outros aspectos extremamente positivos e que devem ser levados em conta são a baixa complexidade das operações e a instalação simples e compacta, que é feita com agilidade e rapidez.

Licenças ambientais

O licenciamento ambiental é de extrema importância, pois sua finalidade é justamente controlar de forma prévia as atividades que utilizam recursos naturais diversos, sem falar no seu devido acompanhamento, que deve ser feito por profissionais qualificados.

As operações poluidoras e que causem degradação exigem um olhar ainda mais rigoroso.

Existem diferentes tipos de Licenciamento ambiental campinas, sendo eles:

  • Licença prévia;
  • Licença de instalação;
  • Licença de operação;
  • Licença de pesquisa sísmica.

Cada um desses documentos é obtido conforme o tipo de atividade executada. No caso das licenças prévias, a obtenção deve ser feita antes mesmo do projeto, de forma que ela possa certificar que o empreendimento em questão é ambientalmente viável.

Já quando estamos falando das licenças de instalação, o objetivo é verificar se o projeto está de acordo com as normas ambientais, autorizando a construção.

A licença de operação, por sua vez, destina-se ao empreendimento construído, determinando se a operação realizada condiz com as autorizações ambientais.

Por fim, as licenças de pesquisas sísmicas determina condições, restrições e medidas de controle para pesquisas de abalo sísmico em regiões marítimas e também em zonas de transição.

O mais importante é garantir sempre o trabalho especializado de técnicos e profissionais que sejam devidamente habilitados para realizarem as atividades relacionadas com controle ambiental, pois a ação amadora e negligente pode gerar ainda mais danos e é absolutamente proibida por lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *