Automobilística: como reduzir o impacto socioambiental?

Automobilística: como reduzir o impacto socioambiental?

Nos últimos anos, o uso extensivo de derivados do petroleo, tornou-se um dos grandes vilões do meio ambiente, por isso, através desse artigo traremos a conscientização da redução do impacto socioambiental.

Com isso, foi inevitável que a indústria automobilística também caísse no caldeirão de críticas.

Isto obrigou o setor a se reinventar, e a tornar seus produtos (os veículos automotores) mais sustentáveis.

Do mesmo modo, há uma cobrança cada vez mais forte pela responsabilidade social, ou seja: adquirir a matéria-prima a partir de uma cadeia de comércio justo, desde itens de sinalização até peças essenciais para o funcionamento do motor.

Neste post, você aprenderá algumas maneiras de tornar uma empresa do setor automotivo mais sustentável, e, consequentemente, com um bom diferencial de mercado.

Tornando a indústria automobilística sustentável

Fatalmente, a preocupação com a sustentabilidade implica em mudanças na rotina de produção do negócio.

Por conta disso, é preciso que toda a equipe se engaje na tarefa de fazer com que as atividades da empresa sejam mais amigáveis com o meio ambiente.

Confira alguns destes fatores de adaptação:

Atenção à contratação de funcionários

A responsabilidade social e ambiental sempre passam por uma gestão de pessoas bem feita e focada em conscientização e motivação.

Nesta situação, os profissionais de RH são os responsáveis por impulsionar uma mudança de mentalidade por parte da equipe, que se reflete no uso mais racional de recursos.

Do mesmo modo, a valorização dos funcionários também é importante.

Quando eles sentem que a empresa de fato se preocupa com o seu bem estar, sentem-se mais engajados para ajudar o negócio a atingir o seu propósito.

Qualificação da equipe

Contudo, não basta que a equipe seja motivada e orientada: é preciso que ela seja qualificada a respeito de normas de sustentabilidade e segurança.

Assim como o curso NR 20 para frentistas é necessário para estes profissionais, os que atuam na indústria automobilística também precisam ser qualificados a respeito da sustentabilidade e segurança.

É importante entender fatores tais como:

  • Como fazer o uso racional dos recursos;
  • A possibilidade de reaproveitar recursos;
  • Como reduzir o impacto ambiental na execução das atividades;
  • Como separar os resíduos poluentes.

Criação de soluções que reduzam a emissão de gases

Além disso, é preciso que as empresas que trabalhem com automóveis inovem. Isso significa que elas devem pensar em mecanismos de funcionamento que possibilitem a emissão de menos gases de efeito estufa.

Vale ressaltar que todas as soluções eventualmente desenvolvidas devem ser comprovadas por meio de uma vistoria veicular.

Do contrário, a marca pode ver-se em apuros, como já aconteceu com outras empresas.

Desenvolvimento de peças mais resistentes

Do mesmo modo, empresas que lidam com a fabricação de peças usadas em carros devem pensar em seu funcionamento a longo prazo.

O motivo para isto é que a substituição eventual de peças não tem apenas um custo monetário, como, também, ambiental.

Afinal, sempre que um item novo é fabricado, é preciso gastar recursos naturais no processo.

Portanto, a sustentabilidade também envolve a redução de substituições desnecessárias de peças.

Ou seja: empresas de reparos devem tentar, ao máximo, corrigir um problema em um veículo, sem trocar peças.

Usar a reciclagem nos processos fabris

A reciclagem e o reaproveitamento de peças e matérias-primas é uma forte tendência em todos os setores econômicos.

As empresas que lidam com o segmento automotivo não são exceção: sempre que possível, deve-se reaproveitar materiais e dar-lhes vida nova.

Por exemplo: um cone de sinalização com base de borracha que não é mais usado pode ser derretido e, sua matéria-prima, usada com outro fim.

Preferir fornecedores locais

Nos anos 90, a tendência de abertura dos mercados fez com que empresas do mundo inteiro adquirissem sua matéria-prima em qualquer outro lugar, ao menor preço possível.

É um processo chamado global sourcing.

As próprias pessoas aderiram a ele em seu cotidiano: muitas passaram a comprar itens importados, inclusive via internet.

O problema é que este processo é bastante danoso ao meio ambiente. O motivo é o transporte: gasta-se muito combustível para levar as mercadorias de um ponto do globo ao outro.

Isso tem feito com que pessoas mais sensibilizadas pela causa ambiental passassem a comprar produtos de empresas locais.

Os próprios negócios podem aderir a esta filosofia, dando preferência a fornecedores que estão mais próximos dela.

Ao procurar empresas de vistorias automotivas, por exemplo, deve-se dar preferência àquelas de localidades próximas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *