Como é feito o gerenciamento de áreas contaminadas?

Como é feito o gerenciamento de áreas contaminadas?

De acordo com Ministério do Meio Ambiente, as áreas consideradas contaminadas definem-se como: terrenos e edificações em geral que tenham alguma quantidade concentrada de substâncias ou detritos que possam causar algum tipo de dano tanto às pessoas, quanto ao meio ambiente.

Como no caso de contaminação de solo, que pode poluir o lençol freático interferindo desta maneira na qualidade da água, que pode se tornar imprópria.

Estes contaminantes podem ser gerados a partir dos processos produtivos de indústrias ou mesmo pelo acúmulo de resíduos indevidos em locais inapropriados que não possuem transporte de resíduos adequada.

Esse é o caso, por exemplo, de dejetos como restos de instrumentos médicos e medicamentos descartados de forma inadequada e também produtos que tenham substâncias tóxicas como equipamentos eletrônicos, tais como pilhas, computadores, televisores, entre outros.

Há regulamentações, como a Lei nº 13.577/2009 e a Resolução do CONAMA nº 420, que estabelecem procedimentos preventivos para o gerenciamento de áreas contaminadas, que prevê processos para evitar a contaminação, bem como trazer à área contaminada condições favoráveis novamente com medidas efetivas de acordo com as características do ambiente.

Seguir estas normas é obrigatório e elas devem ser respeitadas em sua integralidade por empresas e indústrias ou locais com áreas contaminadas, pois, como citado, elas podem oferecer graves riscos à saúde humana, assim como podem degradar o solo e, consequentemente, atingir áreas subterrâneas de água.

Medidas de prevenção e gerenciamento de zonas contaminadas

As ações preventivas, bem como a remediação de áreas contaminadas, são realizadas de forma integrada, que observa tanto a característica do ambiente quanto às condições de áreas próximas às zonas contaminadas.

Antes do gerenciamento em si, é feita a análise prévia do local antes do emprego das medidas. A etapa de análise prévia é fundamental para a verificação ampla e profunda dos possíveis danos.

A análise consiste em realizar estudos sobre os possíveis danos e também analisar os danos já ocorridos em áreas contaminadas.

Nestes estudos, são levantados dados sobre as condições do solo, bem como suas principais características para então ter um diagnóstico preciso sobre o que deve ser feito tanto para restabelecer a área quanto para evitar a contaminação.

Em caso de constatação de contaminação do solo, a partir das análises e estudos do local, são realizadas medidas para a diminuição da concentração dos poluentes, que são retirados por meio de métodos de engenharia.

Neste sentido, confira agora as etapas principais contidas no programa de gerenciamento de locais contaminados por algum tipo de resíduo:

Biorremediação

Este processo consiste em utilizar artifícios biodegradáveis no ambiente contaminado a fim de equilibrar os níveis de contaminação.

Neste caso, organismo vivos são introduzidos no solo, tais como: algas, fungos, plantas, enzimas, entre outros que têm a função de regenerar a área de forma natural em harmonia como ecossistema do local.

Bombeamento e Tratamento da Água

Este procedimento é utilizado quando há presença de metais, entre outros contaminantes, em áreas subterrâneas de água.

Este processo consiste na construção de poços para o bombeamento da água contaminada e, a partir da coleta, são feitas análises para identificar os níveis de degradação da água.

Barreiras Reativas

Este método também é realizado quando há indícios ou a contaminação da água. As barreiras reativas se constituem como um sistema que realiza o tratamento dos resíduos poluentes quando estes entram em contato com a estrutura.

A barreiras possuem substâncias químicas e físicas que atuam na remediação do lençol freático.

Extração

Há diversos tipos de extração que são realizados de acordo com a área contaminada.

Neste processo, o tipo de extração mais usado é o multifásico, que consiste em combinar técnicas de retirada do solo a vácuo e bioventilação.

Este procedimento visa estimular o solo a regenerar de forma natural no ambiente contaminado.

Escavação e remoção

Para análise profunda do solo, engenheiros especializados na área ambiente fazem o processo de escavação, remoção e transporte de resíduos industriais do solo a fim de destiná-lo a locais adequados.

Técnicas Térmicas

Neste procedimento, são usadas técnicas tecnológicas que possuem o objetivo de aumentar ou diminuir a temperatura do solo ou de águas subterrâneas.

Este processo permite que o solo possa ser utilizado novamente, bem como as águas por ele tratadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *